"

Nosso

Blog

YourCode Soluções Web e Mobile

05/12/2016

Adicionando referência do MySQL no "Choose Data Source" do Visual Studio 10/13/15

Problema: Não mostra a referência do MySQL na tela "Choose Data Source".

 

Solução:

1 - Desinstale a versão mais recente / driver NET Connector (6.9.9)

2 - Instalar uma versão mais antiga (6.6.7) para que ele funcione. http://dev.mysql.com/downloads/connector/net/6.6.html

3 - Instale novamente a versão mais atual do driver.

 

Espero ter ajudado!! 

01/12/2016

Aprenda a fazer referência Entity Framework 6 (para MySQL) no Visual Studio 2013

SOLUÇÃO:

1. Antes das etapas para solucionar o erro, verifique os seguintes pré-requisitos:

2. Registrando prestadores EF:

  • Remover a tag EntityFramework padrão da Web.config: 
<entityFramework>
    <defaultConnectionFactory type="System.Data.Entity.Infrastructure.LocalDbConnectionFactory, EntityFramework">
      <parameters>
        <parameter value="v11.0" />
      </parameters>
    </defaultConnectionFactory>
    <providers>
      <provider invariantName="System.Data.SqlClient" type="System.Data.Entity.SqlServer.SqlProviderServices, EntityFramework.SqlServer" />
    </providers>
</entityFramework>

 

  • Adicionar a seguinte tag EntityFramework:
<entityFramework>
    <defaultConnectionFactory type="MySql.Data.Entity.MySqlConnectionFactory, MySql.Data.Entity.EF6" />
    <providers>
      <provider invariantName="MySql.Data.MySqlClient" type="MySql.Data.MySqlClient.MySqlProviderServices, MySql.Data.Entity.EF6" />
    </providers>
</entityFramework>

MySqlProviderServices

 

3. Adicionar as seguintes referências para seu projeto ou verificar as versões:

  • MySql.Data.dll
  • MySql.Data.Entity.EF6.dll
  • MySql.Web.dll
Eles devem ficar nas seguintes pastas :
 
  • C:\Program Files\MySQL\MySQL Connector Net 6.8.3\Assemblies\v4.5 (Windows 32 bits)
  • C:\Program Files (x86)\MySQL\MySQL Connector Net 6.8.3\Assemblies\v4.5 (Windows 64 bits)

MySQL Connector

 


4. Dar Build em seu projeto

Rebuild


5.  Volte a efetuar os seus passos para adicionar um ADO.NET Entity Data Model

 

23/09/2016

Táxis autônomos começam a operar em Singapura

O GrabTaxi, um serviço semelhante ao Uber, que opera em Singapura, começou a disponibilizar carros autônomos no aplicativo. Por meio de uma parceria com a NuTonomy, que projeta os veículos autônomos, os usuários poderão selecionar o modo “robô-car” na hora de pedir por um serviço de transporte.

Inicialmente, a modalidade está em fase de testes finais e disponível apenas em uma área da cidade que foi autorizada pelas autoridades locais que regulamentam o setor. A avaliação dura dois mseses e irá gerar feedbacks que serão usados para melhorar o serviço.

A parceria entre a NuTonomy e a Grab é, segundo as empresas, um passo a mais na dinamização das redes de transporte em Singapura, oferecendo uma opção inovadora. Apesar de a Grab operar em diversas outras cidades do Sudeste Asiático, ainda não se sabe se o serviço com carros autônomos estará disponível em outras regiões.

Vale lembrar que os veículos autônomos da NuTonomy começaram a ser testados ainda em março.

Fonte: Olhar Digital

07/06/2016

E-mail profissional: mais que necessário para a sua empresa

Você já se perguntou quais as vantagens da contratação de um e-mail profissional? Essa é uma dúvida que paira, principalmente, entre aqueles que pretendem abrir e administrar o próprio negócio. Os serviços de hospedagem de e-mail profissional auxiliam na organização e relacionamento com o cliente.

 

Esse artigo explicará porque o seu negócio não deve optar pelos serviços gratuitos de e-mail fornecidos na web. Mas quais são os benefícios que a contratação de um serviço de e-mail profissional pode trazer à minha empresa?

 

Profissionalismo

 

“Meu nome é Paulo e sou consultor de vendas. Trabalhei em diversas empresas do ramo, onde os resultados se mostraram efetivos. Caso tenha interesse na contratação, envie um e-mail para p4ulinho_lindo32@hotmail.com”.

 

Você contrataria esse serviço? Dando início à vasta lista de diferenciais ao se contratar um serviço como esse, o primeiro item a ser considerado é o domínio próprio. Empresas que possuem o próprio nome no endereço eletrônico passam a confiança que os clientes esperam. Afinal, o seu negócio não é brincadeira. Uma empresa que busca passar credibilidade precisa ter o seu nome vinculado ao endereço eletrônico, uma personalização que se faz necessária no atual cenário de negócios.

 

Foco

 

“Oi, meu sobrinho querido, aqui estão nossas fotitas da viagem a Itacaré, ficaram lindas! Beijos da Titia. S2”.

 

Por mais que as informações de caráter pessoal enviadas sejam tentadoras e tenham significado, são também iscas que podem facilmente distraí-lo e tirar o foco dos negócios. Imagine que você utilize o seu e-mail pessoal para administrar a empresa. Mensagens corriqueiras saturando a sua caixa de correio eletrônico com correntes, propagandas, spam… Não me parece uma boa ideia, não é mesmo? Pois é, a contratação de um serviço profissional irá lhe permitir separar suas mensagens pessoais daquilo que faz parte da sua empresa, permitindo que você tenha um email exclusivo e que seja focado apenas nos negócios.

 

Personalidade

 

“Caro cliente, informamos que a reunião foi remarcada para a próxima terça-feira. Att.: paulo@jmailweb.com.pl”

 

Sejamos honestos, não há credibilidade quando a assinatura não revela um email digno de confiança. Os servidores de email gratuito oferecem serviços, mas a nome da sua marca não aparecerá após o @. Com certeza, há muito mais sofisticação em um e-mail comopaulo@nomedaempresa.com.br. Além disso, com esse serviço é possível contratar contas de email adicionais, ou seja, você pode dedicar cada um deles a um setor ou colaborador específico da sua empresa, por exemplo:administrativo@suaempresa.com.br ou mesmocomercial@suaempresa.com.br.

 

Anúncios

 

“Parabéns! Você é o nosso 1.000.000º cliente e acaba de ganhar uma frota de automóveis! Clique aqui para pegar seu prêmio”.

 

Nem sempre é fácil lidar com a quantidade de anúncios que são exibidos ao internauta nos serviços gratuitos de e-mail. Como todos sabemos muitos deles não são confiáveis, podendo gerar, inclusive, problemas como vírus e malwares ao seu computador. Com os serviços de e-mail profissional, você ficará livre de uma vez por todas de falsas promessas e propagandas que fazem você perder tempo!

 

Suporte

 

“Olá, recebemos a sua mensagem e entraremos em contato em até 90 dias úteis”.

 

Os serviços gratuitos de hospedagem de e-mail possuem tantos usuários que é impossível atender a todos com a agilidade necessária. E, como todos sabem, no mundo dos negócios a resolução de problemas deve ser imediata. Contratando um serviço profissional, a coisa muda. O suporte em serviços de e-mail profissional, além de ser direto e direcionado, irá tratar a solução do seu problema como prioridade.

 

Segurança e privacidade

 

“Obrigado por se cadastrar no site FotosdeUrsinhos.com”.

 

A web é um ambiente onde acontecem diversos crimes virtuais. Um deles é o conhecido “hackerismo”, que pode comprometer a segurança e as informações sigilosas do seu negócio. As chances desta situação acontecer com um serviço de e-mail profissional são mínimas, e as configurações de privacidade irão evitar que o seu endereço e as informações nele contidas sejam invadidos.

 

Caso tenha interesse na contratação de e-mail profissional, nós possuímos este serviço e podemos lhe auxiliar na configuração de seus e-mails!

 

Fonte: FeijãoComArroz

26/02/2016

Setor de tecnologia da informação e comunicação enxerga oportunidades na crise

O balanço de 2015 para o setor brasileiro de tecnologia da informação e comunicação pode ser dividido em duas etapas, avaliou hoje (28) o vice-presidente de Comunicação e Marketing da Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro Nacional), Gerino Xavier. “O primeiro semestre foi bom. Todas as empresas ficaram com seus indicadores em um patamar confortável. No segundo semestre, começou o sentimento da crise que, eu acho, é até muito mais grave que a própria crise”, avaliou.

Segundo o vice-presidente da Assespro Nacional, no segundo semestre de 2015, os indicadores das empresas brasileiras de tecnologia da informação e comunicação passaram por um período de maior observação. “O fato é que o sentimento de crise atrapalhou alguns negócios de algumas empresas”. A crise em si afetou de forma mais direta as companhias que trabalham com o setor público. “Tem estados que estão sem pagar seus fornecedores há alguns meses”.

Xavier observou, porém, que a crise apresenta, por outro lado, um aspecto bom. Como a tecnologia é transversal aos vários setores da economia, crises sempre acabam trazendo oportunidades. “Crise precisa de mais controle, de racionalizar custos, precisa aumentar a produtividade e isso só se torna exponencial com o uso de tecnologias”. Para Xavier, o lado ruim disso é que o ciclo de vendas aumenta e a dificuldade  para se vender é muito maior.

Além do setor de compras públicas, o vice-presidente da Assespro Nacional citou a construção civil e petróleo e gás entre os setores mais prejudicados pela crise na área de tecnologia da informação e comunicação. O setor da construção civil devido à paralisação das obras públicas associadas ao escândalo decorrente da Operação Lava Jato, já o setor de petróleo e gás, não só pela queda de preço no mercado internacional, mas também pela crise em torno da Petrobras.

Para Xavier, a tecnologia da informação e comunicação é indutora do crescimento econômico. “Essa é uma afirmação de caráter global”, destacou. Isso significa que para qualquer país crescer, ele precisa usar tecnologias modernas e inovadoras. Xavier lembrou que os países da América Latina que têm feito grandes investimentos no setor para melhorar a qualificação de sua mão de obra, para ampliar as exportações e tornar as empresas mais eficientes e competitivas apresentam resultados melhores que os do Brasil, que adotou medidas que foram na “contramão” dos avanços. Mencionou que a desoneração da folha, por exemplo, tornou o Brasil menos competitivo que seus vizinhos no continente. “Isso afeta a cadeia produtiva toda e leva um tempo para a gente se estabilizar”.

Ano de reflexão

Para o presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação Regional Rio de Janeiro (Assespro-RJ), Márcio Lacs, o ano de 2015 foi um ano “de reflexão” para o setor de tecnologia da informação e comunicação.

Apesar do cenário de dificuldades e indefinições políticas e econômicas no país, Lacs destacou que o Rio de Janeiro apresenta vetores importantes como a Olimpíada, que ocorrerá na capital fluminense em 2016, e o setor de petróleo e gás. “Foi um ano bem movimentado. Por um lado, algumas coisas andaram, outras não andaram tanto. Mas sempre, para a informática, quando algumas coisas não andam, não quer dizer que não seja bom para as empresas”.

Lacs observou que a otimização depende sempre da tecnologia. Ele diz que os contratos são revistos, mas a oportunidade de inovação se faz mais presente ainda para otimizar e melhorar. “A gente vê processos sendo repensados e isso traz muita oportunidade para o nosso setor”.

O presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro (TI Rio), Benito Paret, avaliou que o estado “não foi muito bem sucedido” em tecnologia da informação este ano. “Entre os estados do Sudeste, o Rio de Janeiro teve o desempenho pior”, apontou. A quebra da cadeia produtiva de petróleo e gás gerou um baque grande para muitas empresas. Outros setores da atividade econômica, porém, tiveram desempenho positivo.

“Não temos ainda uma crise no setor de tecnologia da informação e comunicação instalada no Rio de Janeiro”, assegurou Paret, embora a situação aponte para uma estagnação, principalmente nas empresas que estavam focadas na área de petróleo e gás, incluindo as áreas naval e de logística. As outras empresas “estão levando o barco”, disse o presidente do TI Rio. O ambiente de incerteza macro no país impede que o setor arrisque fazer projeções para o próximo ano.

Márcio Lacs reconheceu que para as grandes empresas, 2015 não foi um ano positivo, porque a maior contratante, que é a Petrobras, enfrentou sérias dificuldades. Já os programas destartups (empresas inovadoras de base tecnológica) se consolidaram no Rio de Janeiro. As médias empresas, que são empresas de escala, estão se beneficiando mais das oportunidades que aparecem, sinalizou o presidente da Assespro-RJ.

Perspectivas

Como o principal congresso mundial de tecnologia da informação e comunicação ocorrerá no Brasil, em outubro do próximo ano, o vice-presidente da Assespro Nacional, Gerino Xavier, analisou que isso trará muita visibilidade para o setor. “Algumas cadeias produtivas internacionais passam a enxergar o Brasil de forma diferente e nós apostamos que no cenário da internacionalização, teremos melhores indicadores”. No plano nacional, disse que ainda fica difícil fazer prognósticos. “A ordem do dia é cautela”, sinalizou.

Embora seja considerado o sétimo maior mercado de tecnologia do mundo, Gerino Xavier disse que o governo devia apoiar mais o setor, porque garante emprego de qualidade que gera riqueza para o país. Ele salientou que o Brasil ainda exporta pouco software (programa de computador). “E quando alguém compra software, está comprando inteligência. Inteligência é a melhor coisa para se produzir, porque nós qualificamos o nosso povo. Quando a gente compra inteligência, estamos penalizando nosso povo, nossos pesquisadores, nossos profissionais”.

Na avaliação de Gerino Xavier, o Brasil precisa ter políticas públicas que estimulem a criação de soluções de softwares nacionais para diversas áreas, como saúde e segurança, por exemplo. Falta uma política pública que aproxime a academia, o mercado fornecedor e o mercado comprador. “E o ator indutor de tudo isso é o governo”.

O presidente da Assespro-RJ, Márcio Lacs, concordou que apesar da crise, o cenário para 2016 é de expectativa otimista para o setor de tecnologia da informação e comunicação do Brasil. “Nós vamos trabalhar para que cada um encontre o seu espaço. A gente tem a sorte de trabalhar com algo que está vinculado à inovação, à otimização. Acho que vai ser um bom momento para a gente. Pelo menos, oportunidades vão existir”, concluiu.

22/02/2016

De olho na web, empresas  inovam e apostam em lojas virtuais

E-commerce é alternativa para incrementar negócios, dizem empresários.
Empresas de gás e tecnologia adotaram novas opções de venda.

De olho em hábitos novos dos consumidores e em mercados promissores, empresas do Amazonas encontram no e-commerce uma alternativa para diversificar negócios e aumentar vendas. No estado, lojas de diferentes segmentos já aderiram ao virtual.

Com o crescimento do número de pessoas que acessam a web, empreendedores de diversos setores também passaram a utilizar o veículo como estratégia de vendas. Entre os maiores desafios para as empresas que mergulharam no mercado virtual está a adaptação ao comportamento do cliente, segundo o diretor da empresa Fogás, José Benchimol.

"Começamos a vender botijas pela internet em 2009, mas muita coisa mudou em sete anos. Antigamente havia maior dificuldade de acesso, hoje a internet é mais barata e de qualidade superior, o que aumenta o número de consumidores e os nossos desafios. A nossa maior dificuldade tem sido encontrar o formato certo, pois o cliente que antes usava mais o 'desktop' está migrando para o 'mobile'", explicou o empresário.

Segundo ele, a iniciativa de explorar outras plataformas surgiu da necessidade de oferecer alternativas aos clientes. A Fogás já disponibiliza aplicativo de compra de botija na plataforma mobile Android. A empresa também comercializa o produto por meio de SMS. "O cliente quer ter opções e, na medida que você dá isso, ele tem um poder de escolha maior e acaba apresentando uma fidelidade maior ao produto", disse Benchimol, que informou ainda que a empresa oferece serviços e-commerce pelo site e aplicativo.

Para a loja Ramsons, o e-commerce serve de ponte direta para melhorar o relacionamento com os clientes, além de expandir os negócios para outras cidades da região. "Temos maior alcance e melhor relacionamento, pois criamos uma nova forma de comunicação do público com a empresa e outras possibilidades de vendas para o consumidor final", informou Thiago Rezende, do setor de marketing da empresa.

Pensando em atrair o público-alvo, Rezende informou que descontos e parcelamentos diferenciados foram adotados para estimular o uso do site. "Agora estamos mudando a estratégia e apostando em ações específicas para o público online. [...] Temos planos para trabalhar com aplicativos em breve", completou.

Com lojas físicas em Manaus há 17 anos, o grupo Info Store anunciou o lançamento da loja online no início de fevereiro. Para garantir a boa experiência dos clientes, a empresa informou que as preocupações passaram da estruturação do layout (estrutura física da página) à informação sobre trocas e reparos em casos de possíveis defeitos técnicos, conforme explica o consultor de e-commerce da loja, Roberto Wajnsztok.

"Outro fator indispensável é informar sobre o sigilo e a segurança quanto aos dados fornecidos durante o pagamento, além do uso de tecnologias adequadas que dão suporte para acompanhar a separação, o transporte e a entrega da compra, com qualidade e comodidade", apontou.

Em toda a vitrine virtual, itens eletrônicos, informática, games, telefonia, TV, áudio, vídeo, entre outros, ganham facilidades de pagamento, além das comodidades inerentes ao serviço de compra online. "Entre os diversos benefícios, destaco a aproximação estabelecida entre varejista e consumidor, que possibilita uma experiência de relacionamento completa antes, durante e após o processo de compra. Além, é claro, da onipresença, elemento fundamental capaz de produzir conversão, satisfação e mobilidade", finalizou Wajnsztok.